Ele

Ainda cheirava à menino
Não existira, nele, um mero rito de passagem!
Nem isso, nem nada.

De toda forma
Aquecia meu coração.
Como o fogo aquece uma espinha
GELADA!

Apenas um menino era,
e nada, ou quase nada
havia vivido.

Ou, pelo menos nada
do que eu soubera.

O que sei é que agora
Seja meu sentimento,
ao menos  minha euforia.

Nada sei,
A não ser que desejo,
imensamente,
possuí-lo.

Sei que o quero possuir,
Como a lua subitamente
deseja o sol, e o sol a deseja.

Sei que fostes um menino,
e agora sois um Homem.
Um ultraje para minha consciência

E eu,
não poderia ter um ultraje.
Nem isso, nem nada.
Apenas a ele queria.
E parece-me estranho soar-lhe tais palavras.

A chuva lá fora.
E eu não sei onde andas.

Est(ava) arredida,
e nada poderia fazer a respeito disso.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s