A fofoca

Era
Ela

Quem sorria
Quem sofria
Quem amava

Aquela cadela bêbada
De paixão se embriagava

Rolava sua cara no pó
Sobretudo estava só

Sozinha

Abandonada na sarjeta
Que se chamavam de rua

Se jogava pelos cantos
Daquelas paredes nuas

E via nelas desencanto
Na vida de suas putas

A abandonada
Foi quem abandonou

Endoidecida deixara os filhos
Anjinhos barrocos de Viena

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s