0

Acerca de agora

Ser ou não ser?
e do talvez (não ser) fez-se o não.

E do sumiço fez-se o armago,
e a doçura espremeu-se em meu coração.

Triste e só
Um fio, um nó.

Uma coisa aberta,
um certo gosto na boca.

Minha têmpora,
meu cortex,
Me parecem inapropriados…

Para essa vida que vira,
para o (não) momento de pax.

Anúncios
0

Acerca da felicidade

Adoro ir, vir, chegar, partir… Fazer, acontecer, valer a pena, não valer a pena. Sou uma experimentadora que mergulha de cabeça, corpo e coração em tudo o que faz. Se estou feliz? Não sei, nunca busquei a felicidade e acho muito egoísmo buscá-la e em um mundo que está todo errado.

Então, pra mim, essa tal de felicidade é a culpada das coisas erradas, da fome, da injustiça e da miséria de alma. Se partisse de cada um de nós a iniciativa de fazer do mundo um lugar bom para todos, talvez a felicidade fosse algo orgânico, natural. Enfim, essa felicidade que todo mundo se empenha pra ter e “o resto do mundo que se foda porque eu quero ser feliz”. Essa felicidade eu não quero sentir, JAMAIS.

Odeio comodismo e lutar pela própria felicidade é a forma mais genuína dele, é fácil demais ser feliz com um sapato, um chocolate, um beijo. Difícil é se emprenhar em tentar resolver as coisas que realmente importam. Se cada um se importasse com o coletivo, com o bem comum, com o outro, talvez o mundo fosse hoje verde e sustentável, talvez fosse um mundo onde a felicidade estivesse implícita e aonde realmente valesse a pena viver.

"Tudo que você pensa, pense ao contrário"

0

Alegoria do amor

Post virou artigo;
poema virou conto;
menos virou mais.

Desencanto virou amor;
loucuras se fizeram palpáveis;
e das idéias se fez matéria.

Parente, de repente virou família;
homem virou sinônimo de macho
e eu voltei a ser menina.

Solidão deixou de ser poesia;
pôr-do-sol agora é encontro;
e nos desencontros pôs-se  um fim.

Frio virou sinônimo de calor;
a tristeza virou alegria;
e a esperança se (re)fez.

A vida não é mais desencanto;
e inalcançável se tornou a razão.

Do amor se fez a dança;
e de duas almas um só coração.