O conto de meia página

Jamais irei entender o que se passa dentro de mim. Era um estranho? Ainda seria um estranho? E no desespero de não saber, fez-se a dor de querer demais aquela que não tinha nome, ou tinha nomes demais que fugiam à minha compreensão.

Eu a chamava de Bianca.
Tinha jeito de menina e resquícios de mulher.

Fora ela embora?
Jamais irei saber.

Lembro-me apenas do dia do ônibus. Do dia no qual meu carro precisava de conserto, que até eu mesmo precisava ser consertado. Assim, quem sabe eu não amava-la tanto.

Quem sabe assim o sentimento não se fizesse ausente dentro de mim.

Estava ela feliz?
Jamais saberei.
E se isso soubesse , talvez em meu coração se veria o mínimo de paz.

Leia mais deste conto:

Casa comigo, moça de meias vermelhas
Amar você, odiar você
Um dia de fúria
A história sem nome. Parte II
A história sem nome
Aquela
Anúncios

One thought on “O conto de meia página

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s