1

Acerca da perda, da saudade e da vida.

No fim o que sobra é a saudade. E a saudade é o desejo da presença e a ciência de que o encontro, em seu estado bruto, nunca mais acontecerá. O problema então é o saber demais e não o sentir como argumento factual. Nesse aspecto, conhecer torna-

vida

se uma inverdade do ser, pois o nega e faz nele doer uma dor que não deseja. Sendo o desejo, então, a materialização da angústia e da maldição de quem o tem. Muito pelo o incontrole vazio e incerto após o apagar da última chama.

Tem-se também a saudade do que não foi e a incerteza: e se eu tivesse feito isso ao invés daquilo?  E se eu tivesse estado mais presente? E se toda vez que eu pude fazer e não fiz? No fim o que resta são as lembranças do que não foi. Apenas.

E então, esbarramos novamente na vida. Vadia vida. Viva vida. Tola vida, que existe e se faz pra quem se faz forte. Pra quem se faz sagaz. Pra quem se atira, e se atira de cabeça. A vida se vale pra quem acredita e se joga nesse grande abismo que é viver. Mas, acima de tudo, a vida se dá a quem se deu. Vini, saudoso vini, a vida se dá a quem quis nela se fazer humano, errante e aprendiz.

Salve Detinha da Bahia! Nunca esquecerei da única pessoa que me chamava: menininha.

Saravá!

1

Não somos bonecas infláveis!

boneca_inflavelQual deve ser a motivação para uma mulher se cuidar? Certamente não deve ser porque “homem não gosta de mulher desleixada”, da mesma forma que a maioria dos homens não fazem nada pautados no que as mulheres vão ou não achar deles. Não vou entrar aqui no discurso sexista, mas essa é uma realidade comportamental – o homem como provedor (desde os tempos das cavernas) geralmente não se incomoda com o que as mulheres pensam dele. A maioria é auto-suficiente demais para isso. Então, amiga, porque é que você deve se importar?

Não que eu ache que não devemos nos cuidar! Mas a motivação deve ser outra. Estar bonita e bem cuidada pra se sentir bem com você mesma é a melhor coisa do mundo e atrai coisas maravilhosas pra vida. O cuidado com o corpo, com a mente e com a aparência não deve acontecer porque alguns seres humanos XY (anacéfalos) querem. e sim porque NÓS queremos, porque gostamos, porque é da NOSSA natureza.

Acho que a máxima devia ser: homem não gosta de mulher fútil. Afinal, de que adianta uma mulher linda, bem cuidada e sarada,  com quem não se não consegue ter uma conversa agradável? Eu mesma conheço muitas gordinhas fofas, sexys, atraentes e inteligentes que são lindas do jeito que não, não querem mudar e eu acho que nem precisam, uma vez que são bem resolvidas com elas mesmas.

Então, se você é uma amiga que acha que apenas a beleza vai ajudar a encontrar aquele par, cuidado, além de ser perigoso ter um parceiro que não gosta de você por quem você é, um dia a aparência não será mais mantida por cremes e academia, só sobrará o conteúdo, e se você não investir nisso, o que sobrará?

E se você é um homem que acha que a mulher é uma boneca inflável, eu tenho pena de você! Vai passar a vida trocando de parceiras pq o tempo, amigo, passa pra todo mundo! Então o máximo que dá pra ter de relacionamento com uma bunda dura é passar a mão nela enquanto ela for dura. Não dá pra descobrir a pessoa como ela é de verdade sem conhecê-la “por dentro”.

Então, fica a dica! Quer uma mulher perfeita? Compre uma boneca inflável!

0

E depois que os sonhos acabam?

Querido blog! Faz um tempão que não venho, que não escrevo, que não penso. Que não penso? Péra! Eu penso sim! Eu penso muito, o tempo todo. Sempre fui assim e sempre serei. Pelo menos é o meu desejo.  Ai de mim se algum dia não ver, se não pensar, se não sentir.

Acho que o problema é que agora sou adulta. Uma  pessoa adulta, responsável e chata. Tá bom, não tão chata. Na verdade a palavra não seria chata, pois sempre fujo do tédio. Apesar de que, quando se é um adulto, é necessário muito malabarismo para escapar dele.

No momento estou correndo o tempo todo, procuro o bom humor e  até mesmo um pouco (ou muito) da comédia para não cair no “chatidão”. Até inventei um novo bordão: O que seria uma Luana se não fosse a palhaçada? Acho que no momento não seria nada além de uma pessoa pacata e monótona que não faz nada de divertido ou interessante. Às vezes penso muito naquela frase: O mundo é uma comédia para os que pensam.  Se algum dia existiu algo bom em amadurecer, sem dúvida é não ter mais aquela melancolia sórdida que sempre me acompanhou.

Continuo escrevendo, TG! Só não tenho mais tempo para digitalizar meus escritos. E isso é uma coisa boa. Ando muito criativa (muito mesmo), e utilizo a minha criatividade pras outros fins. É divertido. Bom, ando me divertindo do jeito que dá. Da forma “adulta” de ser.

Depois te atualizo mais.

Um beijo!

Ps: Respondendo à pergunta, depois que os sonhos acabam não nos resta nada! Sonhar é o que sobra de bom na vida depois que  a gente cresce.

Luana.

0

Acerca de agora

Ser ou não ser?
e do talvez (não ser) fez-se o não.

E do sumiço fez-se o armago,
e a doçura espremeu-se em meu coração.

Triste e só
Um fio, um nó.

Uma coisa aberta,
um certo gosto na boca.

Minha têmpora,
meu cortex,
Me parecem inapropriados…

Para essa vida que vira,
para o (não) momento de pax.

0

Acerca da felicidade

Adoro ir, vir, chegar, partir… Fazer, acontecer, valer a pena, não valer a pena. Sou uma experimentadora que mergulha de cabeça, corpo e coração em tudo o que faz. Se estou feliz? Não sei, nunca busquei a felicidade e acho muito egoísmo buscá-la e em um mundo que está todo errado.

Então, pra mim, essa tal de felicidade é a culpada das coisas erradas, da fome, da injustiça e da miséria de alma. Se partisse de cada um de nós a iniciativa de fazer do mundo um lugar bom para todos, talvez a felicidade fosse algo orgânico, natural. Enfim, essa felicidade que todo mundo se empenha pra ter e “o resto do mundo que se foda porque eu quero ser feliz”. Essa felicidade eu não quero sentir, JAMAIS.

Odeio comodismo e lutar pela própria felicidade é a forma mais genuína dele, é fácil demais ser feliz com um sapato, um chocolate, um beijo. Difícil é se emprenhar em tentar resolver as coisas que realmente importam. Se cada um se importasse com o coletivo, com o bem comum, com o outro, talvez o mundo fosse hoje verde e sustentável, talvez fosse um mundo onde a felicidade estivesse implícita e aonde realmente valesse a pena viver.

"Tudo que você pensa, pense ao contrário"