3

Subjugados pela beleza

Os leitores deste Blog sabem que eu não costumo postar nada que não seja de minha autoria.
Fora poesias que me traduzem e pensamentos idênticos aos meus. Esse é o ponto(.)
Nunca consegui entender essa fissura por estética que temos hoje e também nunca consegui escrever sobre isso, apesar de ser um assunto que me deixa indignada.
Sempre digo que a inteligência me excita mais que um corpo sarado. (Deve ser por isso que não namoro com ninguém a muito, muito tempo, hihihi). Acho que está na hora de começarmos a pensar sobre o assunto, pois, a ação é a materialização da nossa vontade e só tem vontade de mudar quem se indigna com a realidade, e só se indigna com a realidade quem pensa sobre ela e não apenas vive como um robô massacrado pelo sistema.
Achei na Internet esse texto do Hebert Viana que traduz exatamente o que eu penso sobre o assunto.

CIRURGIA de LIPOASPIRAÇÃO?

Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém, nem falar do que não sei,
nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas,
mas ninguém está percebendo que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo-as e muito mais piração?
Uma coisa é saúde outra é obsessão.
O mundo pirou, enlouqueceu.
Hoje, Deus é a auto-imagem. Religião é dieta.
Fé, só na estética. Ritual é malhação.
Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo,sentimento é bobagem.
Gordura é pecado mortal. Ruga é contravenção.
Roubar pode, envelhecer não. Estria é caso de polícia. Celulite é falta de educação.
Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso.
A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem?
A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz,
não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem.
Imagem, estética, medidas, beleza. Nada mais importa.
Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa.
Não importa o outro, o coletivo.
Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política.
Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada.
Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar legal, quero caminhar correr, viver muito, ter uma aparência legal mas…
Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser.
Que as pessoas discutam o assunto. Que alguém acorde. Que o mundo mude. Que eu me acalme. Que o amor sobreviva.
‘ Cuide bem do seu amor, seja ele quem for ‘

0

Canto dos malditos na terra do nunca

Hoje eu descobri uma banda nova \o/
Daí descubro que ela acabou depois de lançar o primeiro CD.
Ai, que falta de sorte a minha =/

Achei essa música muito, muito foda:

Olha a Minha Cara

Olha a minha cara de quem gosta de você
Cuspo na tua foto, faço cena de tv pra ver
Que ainda assim você gosta de mim.

Olha minha cara de quem gosta de você
Faço mil promessas e ainda faço você crer e perceber
Tudo que te devora.

[Refrão]
Que dessa vida não se leva nada não
Me estrago na lama do drama e me traz solução

0

Clarice

Quem me conhece (mas realmente conhece), sabe o quanto eu sou apaixonada por Clarice Lispector. Essa paixão é advinda da consideração que apenas a poesia dela é capaz de me representar. E a partir da ideia dela de tentar transponir o coração para a escrita, comecei a fazer textos os quais, hoje, realmente me orgulho. Obrigada, Clarice, por me ensinar a escrever com o coração.

Hoje, não raro, estou com uma dor de cotovelo infinda, mas, ao contrário de sempre, não consigo escrever algo que vem de dentro. Então resolvi transpor algo que vem de fora, que vem de Clarice – a poesia em forma de gente.

“Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho…o de mais nada fazer”.

Ps: esperando autorização do Pedro Hemb para colocar uma ilustração. =D

0

Angústia

Definição: Chamamos de angústia a sensação psicológica, caracterizada por “abafamento”, insegurança, falta de humor, ressentimento, dor e ferida na alma. Na moderna psiquiatria é considerada uma doença que pode produzir problemas psicossomáticos.
A angústia é também uma emoção que precede algo (um acontecimento,uma ocasião, circunstância), também pode-se chegar a angústia através de lembranças traumaticas que dilaceraram ou fragmentaram o ego. Angústia quando a integridade psíquica está ameaçada, também costuma-se haver angústia em estados paranóicos onde a percepção é redobrada e em casos de ansiedade persecutória. A angústia exerce função crucial na simbolização de perigos reais (situação, circunstância) e imaginários (consequencias temidas).
Fonte: Wikipédia

É isso aí, ela não me larga!
Abaixo um vídeo em homenagem ao poeta da angustia, o maior que já existiu,
Vinicius de Morais

0

Amor platônico

Não é nada não… eu só estou exausta. =/


Último soneto (Álvares de Azevedo)
Já da noite o palor me cobre o rosto,

Nos lábios meus o alento desfalece,

Surda agonia o coração fenece,
E devora meu ser mortal desgosto!
Do leito, embalde num macio encosto,
Tento o sono reter!… Já esmorece
O corpo exausto que o repouso esquece…
Eis o estado em que a mágoa me tem posto!
O adeus, o teu adeus, minha saudade,
Fazem que insano do viver me prive
E tenha os olhos meus na escuridade.
Dá-me a esperança com que o ser mantive!
Volve ao amante os olhos, por piedade,
Olhos por quem viveu quem já não vive!

Créditos da imagem: Angel Gothic

2

Vícios e latidos

Litérário
Ultra-romantismo

“A dança dos encéfalos acesos
Começa. A carne é fogo. A alma arde. A espaços
As cabeças, as mãos, os pés e os braços
Tombam, cedendo à ação de ignotos pesos!

E então que a vaga dos instintos presos
– Mãe de esterilidades e cansaços –
Atira os pensamentos mais devassos
Contra os ossos cranianos indefesos

Subitamente a cerebral coréia
Pára. O cosmos sintético da Idéia
Surge. Emoções extraordinárias sinto
Arranco do meu crânio as nebulosas
E acho um feixe de forças prodigiosas
Sustentando dois monstros: a alma e o instinto!”
Augusto dos Anjos

Cinéfilo
Filmes infames e sons antigos


Placebo>
Segundas intenções

0

Um beijo – Olavo Bilac


Foste o beijo melhor da minha vida,
ou talvez o pior…Glória e tormento,
contigo à luz subi do firmamento,
contigo fui pela infernal descida!

Morreste, e o meu desejo não te olvida:
queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,
e do teu gosto amargo me alimento,
e rolo-te na boca malferida.

Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,
batismo e extrema-unção, naquele instante
por que, feliz, eu não morri contigo?

Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,
beijo divino! e anseio delirante,
na perpétua saudade de um minuto….